sábado, 24 de janeiro de 2015

POLÍCIA MILITAR AGE RÁPIDO E EVITA ASSALTO EM JUCURUTU

CYMERA_20150124_143054

Fonte: Blog PM Jucurutu - No final da manhã deste sábado, 24, Policiais Militares do GTO de Jucurutu receberam uma informação dando conta de que haveria homens armados rondando os comércios da Cidade, possivelmente na tentativa de praticar assaltos.
De imediato, os Policiais passaram a fazer uma “varredura” na Cidade e, quando se dirigiam ao Bairro Freitas, se depararam com dois suspeitos, em uma moto, que foram abordados, e, com eles, foram encontradas quatro munições intactas calibre 38. Além disso, a moto em que eles estavam, uma Honda Fan, 150, de cor preta, placa OJT – 5312, estava com alguns números e letras da placa adulterados com fita adesiva preta.
Os Policiais, então, conduziram a dupla até a Companhia da Polícia local, onde fizeram a identificação de ambos, sendo um deles, um adolescente, de apenas 15 anos, que vem trazendo, há algum tempo, bastante preocupação para as autoridades de Jucurutu e o outro trata-se de Joab Rodrigues Baracho, 24 anos. Contra este último, pesa um mandado de prisão em aberto. Ele é velho conhecido da Polícia de Assu e Itajá, onde participou de assaltos em janeiro de 2013.
O adolescente confessou aos Policiais que um terceiro suspeito, que estaria com uma arma, conseguiu fugir, quando viu a movimentação policial. O adolescente ainda acrescentou que, no momento em que foram abordados, estavam se dirigindo para o Bairro Freitas, onde praticariam um assalto a um comércio daquele Bairro.
Tendo detido os suspeitos, a Policia agora quer saber se eles têm envolvimento com um roubo que houve na última terça-feira, também no Bairro Freitas, a um comerciante, que teve sua casa invadida e sua família feita refém por vários minutos, enquanto os bandidos roubavam seus pertences.
Felizmente, dessa vez uma família foi polpada das mãos de bandidos impiedosos, que não respeitam ninguém. E Mais uma vez a Polícia Militar está de parabéns. Apesar de não ter condições de evitar todos os delitos – o que seria impossível, tamanha a impunidade em nosso País – essa grande Instituição vem agindo com rigor contra a criminalidade.
 A dupla detida foi levada para a Delegacia Regional de Caicó, onde será ouvida pela autoridade competente. Joab Rodrigues deverá ficar preso, já que, além de constatada a intenção de praticar o roubo, contra ele pesa um Mandado de Prisão. E, quanto ao menor, que na noite de ontem foi interceptado pela PM, quando praticava direção perigosa em uma moto, não se sabe o que acontecerá, tendo em vista que ele é privilegiado pela lei. Vamos aguardar para sabermos se as autoridades conseguem interná-lo em uma instituição para menores.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

OS DEZ ERROS

“O conhecimento torna a alma jovem e diminui a amargura da velhice. Colhe, pois, a sabedoria. Armazena suavidade para o amanhã”. Leonardo da Vinci
OS DEZ ERROS QUE TÊM LEVADO POLICIAIS EXPERIENTES À MORTE De acordo com a “National Law Enforcement Officers Memorial Fondation”os dez erros que tem levado policiais experientes à morte são:
ATITUDE – Se você não está concentrado no trabalho ou leva os problemas pessoais quando sai a campo, você está cometendo erros. Isso pode custar sua vida ou dos seus parceiros.
CORAGEM DE TOMBSTONE* – Ninguém tem dúvidas que você é corajoso. Mas se a situação permitir, AGUARDE a chegada do reforço. Você não deve iniciar uma diligência perigosa sozinho.
NÃO DESCANSAR O SUFICIENTE – Para trabalhar você deve estar alerta. Dormir ou estar sonolento durante o trabalho não é apenas contra o regulamento, mas você se expõe, expõe a comunidade e os seus parceiros.
ESTAR MAL POSICIONADO – Nunca permita que alguém que esteja sendo abordado ou detido te conduza para uma posição de desvantagem. Sempre esteja atento quanto à sua posição. Mantenha a vantagem. Cada chamada é uma chamada, cada abordagem é uma abordagem. Não caia na rotina.
SINAIS DE PERIGO – Como um policial você deve reconhecer os “sinais de perigo”. Movimentos rápidos e carros suspeitos são avisos que podem te alertar para prestar atenção e se aproximar com cautela. Conheça sua comunidade e atenção para onde olha, e sempre observe se há algo de errado.
FALHA AO OBSERVAR AS MÃOS DO SUSPEITO – Ele é capaz de alcançar alguma arma ou te atacar com as mãos? O único meio dele alcançar uma arma ou te atacar é usando as mãos.
RELAXAR PRECOCEMENTE – Observe cuidadosamente. Você tem certeza que a ocorrência acabou. Não tenha pressa em relaxar simplesmente porque a ameaça imediata e aparente foi neutralizada.
USO IMPRÓPRIO OU O NÃO USO DAS ALGEMAS – Veja se a mãos que podem matar estão seguramente algemadas. Uma vez feita a prisão, algeme o prisioneiro imediata e corretamente.
NÃO FAZER A BUSCA OU FAZÊ-LA INADEQUADAMENTE – Há muitos lugares para se esconder armas e, se você falhar na busca, poderá pagar com sua própria vida ou a dos seus parceiros. Muitos criminosos portam diversas armas e estão preparados para usá-las contra você.
ARMA SUJA OU INOPERANTE – Suas armas estão limpas? Elas funcionam? E a munição? Quando foi o último tiro que você deu no estande ou em combate? Qual o sentido de portar qualquer arma de fogo se você não sabe se funcionará quando mais precisar?
*Tombstone é uma cidade localizada no Estado do Arizona, Estados Unidos, e no passado, foi palco de inúmeros duelos entre pistoleiros.
FONTE: BLOG DO CORONEL ARAÚJO

PMRN ABRE SELEÇÃO PARA QUEM JÁ TEM A INSTRUÇÃO DE NIVELAMENTO DE CONHECIMENTO (INC) DA FORÇA NACIONAL



O Boletim Geral 013/2015 PMRN, trás a abertura de processo seletivo simplificado para quem já possui a Instrução de Nivelamento de Conhecimento (INC) da Força Nacional de Segurança Pública.

De acordo com o edital, o Policial Militar interessado deverá realizar sua inscrição nos dias 26 e 27 deste mês (segunda e terça-feira) no QCG em Natal. Ainda de acordo com o edital, os exames de saúde serão realizados no dia 02 de fevereiro e o TAF (teste de aptidão física) nos dias 09 e 10 de fevereiro.

Existem 9 vagas e o Militar deverá ser convocado para atuar em uma das diversas missões da Força Nacional espalhadas pelo país.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

INCÊNDIO DESTRÓI TRÊS CARROS DA EMATER EM ASSÚ



Na noite de hoje 16/01 por volta das 19:00h um incêndio destruiu 3 veículos da Emater que fica no bairro Cohab em Assú.
Até o momento não se sabe as causas do incêndio, policiais estiveram no local, vários populares ajudaram na medida do possível na tentativa de salvar outros veículos que estavam no local.

No momento do incêndio cerca de 8 veículos estavam no pátio da Emater, mais graças a Deus e a coragem de alguns populares, ambos conseguiram salvar os outros veículos das chamas que já se espalhavam pelo prédio da Emater, até um ar-condicionado foi consumido pelas chamas.

O chefe da Emater por nome de Evilásio também esteve no local tentando salvar os veículos.

Fonte: Focoelho

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

"ESTÁ NA HORA DO RN FAZER INVESTIMENTO PRÓPRIO EM SEGURANÇA" DIZ RICARDO BALESTRERI, UM DOS MAIORES ESPECIALISTAS EM SEGURANÇA DO BRASIL E EX SECRETÁRIO NACIONAL DE SEGURAÇA

Roberto Lucena
Repórter

“No Brasil, ocorre um genocídio seletivo. São quase 57 mil mortos por ano e a maioria é jovem de 14 a 25 anos, negros e pobres. O Brasil não se escandaliza com o que acontece com os pobres. Se a metade dos assassinados  fosse de classe média, o país viveria em estado permanente de escândalo”. A afirmação é do especialista em segurança pública Ricardo Balestreri, que mora em Natal há mais de um ano.
Alex Régis
Especialista em Segurança pública Ricardo Balestreri dá dicas de ações que podem fazer diferença no RNEspecialista em Segurança pública Ricardo Balestreri dá dicas de ações que podem fazer diferença no RN

 Especialista em Segurança pública Ricardo Balestreri dá dicas de ações que podem fazer diferença no RN

Com a experiência de quem ocupou a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) e a Anistia Internacional no Brasil, o especialista concedeu entrevista à TRIBUNA DO NORTE e comentou, entre outros temas, sobre a desmilitarização da Polícia Militar e redução da maioridade penal. Eis a entrevista.

O senhor conheceu várias cidades, e decidiu morar em Natal. O que motivou essa escolha?

Saí da Senasp em janeiro de 2011, muito estressado. Foram sete anos no Governo Federal muito exaustivos. Terminado esse período, decidi não ter mais função estatal e passei a trabalhar em assessoria. Conheci todas as capitais do Brasil e escolhi morar em Natal por achar mais agradável. Moro aqui há mais de um ano e meio e não me arrependo.

O senhor é especialista em segurança públicas e os números dessa área, em Natal, são assustadores. Não houve receio de se mudar para um cidade considerada violenta? Os dados sobre violência não pesaram na escola?

Na verdade pesou e ainda pesa. Eu conheço Natal há 25 anos. Eu acompanho o que vem acontecendo na cidade. A sensação de insegurança aumentou muito. Comecei a vir à Natal em uma época onde as pessoas deixavam a porta de casa aberta. Há um processo acentuado de deterioração que ocorre em todo Brasil.

Quando esse processo começou?

Desde que nós acabamos com o Pronasci. Foi o primeiro, único e último programa de segurança pública do Brasil e durou apenas três anos. A partir do encerramento do programa, em 2010, os índices de violência começaram a piorar muito. Particularmente no Nordeste. Acho que os números negativos são produto histórico de um grande descaso, abandono da área da segurança. Abandono que o Estado tem vivido nas últimas décadas e se agravou à medida que o Governo Federal abandonou a segurança. Então é o somatório de duas questões convergentes.

Os secretários estaduais de Segurança responsabilizam as drogas pela crescente escalada da violência. Seria apenas essa a explicação mesmo?

Não é só isso. Mas quero deixar claro que não culpo os secretários. O problema é que uma andorinha só não faz verão. Para fazer segurança, é preciso ter iluminação e limpeza pública, por exemplo. Se você quiser  consertar o fenômeno da insegurança, é preciso trabalhar sobre ele, mas também trabalhar o que está ao lado. Em uma comunidade que não quadra esportiva, que as ruas estão sujas, que falta luz, esgotamento sanitário, naturalmente haverá crescimento da bandidagem. Os secretários têm feito esforço, mas acho que está na hora de um esforço conjunto com o Governo Federal. Tenho grande esperança no governo Robinson Faria.

O Brasil acumula quase 57 mil homicídios por ano. Como analisar este número?

Não há nenhuma guerra, em nenhuma parte do planeta, onde ocorra essa quantidade de mortes intencionais. Isso é muito grave. É ainda mais grave porque, no Brasil, ocorre um genocídio seletivo. São quase 57 mil mortos por ano e a maioria é jovem de 14 a 25 anos, negros e pobres. O Brasil não se escandaliza com o que acontece com os pobres. Se a metade dos assassinados  fosse de classe média, o país viveria em estado permanente de escândalo. Mas morrer 57 mil pobres parece que não faz diferença. A gente já banalizou a desgraça e dor dos pobres. Não temos mais sentimento de compaixão e de verdadeira democracia.

Para enfrentar e reverter essa realidade, os governadores podem trabalhar sozinhos ou é imprescindível a ajuda do Governo Federal?

Acho que é possível fazer muito sem ajuda do Governo Federal. Quando eu era secretário, lembro que o TCU [Tribunal de Contas de União] sempre recomendava que nós deveríamos ter cuidado para não criar o vício da dependência nos Estados.  Se você faz o Estado ficar viciado no dinheiro do Governo Federal, ao longo dos anos o Estado acredita que não tem mais que investir. De alguma maneira, isso pode ter acontecido no RN. Acho que está na hora do RN fazer investimento próprio em segurança, mas tem que exigir a participação da União. Segurança pública é muito caro, mas o Estado é rico. Não podemos dizer que o RN é um Estado pobre.

O senhor já declarou que o modelo da Polícia Militar no Brasil está equivocado. Porque?

Precisamos de uma polícia de proximidade. Precisamos saber o nome do policial, conversar com ele. Com esse modelo de botar os policiais para rodar o dia inteiro dentro de viaturas, conseguimos o desastre. Esse modelo é uma cópia do modelo americano que faliu nos anos 70. Não pode funcionar. No período da Ditadura Militar, houve o sequestro das polícias. O Estado Brasileiro roubou a polícia Militar e Civil para si e afastou a polícia do povo. Precisamos ter a coragem de devolver a polícia ao povo.

Esse processo passa pela desmilitarização da Polícia Militar?

Acredito que precisamos reforçar o desvínculo com as Forças Armadas. Isso é um absurdo. Não tem que haver confusão entre polícia e Forças Armadas. As Forças Armadas são basicamente de guerra. A polícia tem política de paz. Esse vínculo é uma sequela da Ditadura e a desvinculação é necessária. Mas sou a favor da estética militar. Acho que a PM necessita da farda e dos ordenamentos militares. Mas precisamos desmilitarizar a polícia do ponto de vista ideológico. Significa que o cidadão não é inimigo da polícia, reconhecer os direitos humanos dos policiais, entre outros. A hierarquia e disciplina precisam conviver com o respeito democrático aos direitos.

Outro assunto polêmico é a discussão sobre a possível redução da maioridade penal. Qual sua opinião sobre o tema?


Essa discussão precisa ser abordada em tese e dentro da realidade brasileira. Em tese, não haveria problema em reduzir a maioridade penal porque grande do mundo civilizado a maioridade penal é inferior a 18 anos. Teoricamente não haveria problema. O mundo evoluiu muito. Agora, como no Brasil o sistema prisional incivilizado, reduzir a maioridade penal é jogar os adolescentes a todo tipo de atrocidade dentro dos presídios. Os presídios no Brasil, todo mundo sabe, são as escolas dos crimes. Os presídios normalmente não são comandados pelo Estado e sim pelos presos.

Roberto Lucena
Repórter


domingo, 21 de dezembro de 2014

MAIS DOIS OFICIAIS DA PMRN CONCLUEM O CURSO DA CIOSAC, ENTRE ELES O TENENTE RENÊ, COMANDANTE DO PELOTÃO DE LAJES

SONY DSCSONY DSCNa manhã desta quarta-feira (17), a Companhia Independente de Operações e Sobrevivência na Área de Caatinga (CIOSAC) realizou solenidade referente à conclusão do 15° Curso Intensivo. A companhia, especializada em ações de comandos na caatinga, começou a operar no sertão pernambucano em 23 de outubro de 1997. Logo em seguida ganhou o caráter de uma unidade operacional especializada tendo como base o município de Custódia.
O evento contou com a presença do Secretário Executivo de Defesa Social, Rodrigo Bastos de Freitas, do Diretor da Diretoria Integrada Especializada, Cel PM Paulo de Tarso Pacífico, do Coordenador Operacional do Interior I, Cel BM Élder Carlos, do Diretor Integrado do Interior II, Cel PM Rosemário Barros, o comandante da CIOSAC, Major Jamersom de Oliveira Lira, além das autoridades municipais, sociedade civil organizada e familiares dos formandos.
Durante um período de 15 dias de inscrição, mais de 167 policiais participaram do processo seletivo. Depois da realização dos exames médicos e físicos foram classificados 68 policiais para iniciar o curso dos quais 58 eram oriundos da PMPE, dois (02) da CBMPE, quatro (04) da PMRN, um (01) da PMBA, um (01) da PMCE, um (01) do DPF e um (01) da DPRF.
O 15° curso teve duração de 42 dias nos quais foram ministradas 30 disciplinas, dentre elas o Treinamento Físico Militar, Montanhismo, Tiro Policial, Técnicas de rastro e contra-rastro, Sobrevivência na Caatinga, Patrulha Rural, Operações Ribeirinhas e Operações Rurais.
Dos 68 policias iniciantes apenas 33 obteram êxito em todas as avaliações teóricas e práticas das diversas instruções. Dentre eles 27 da PMPE, dois (02) da PMRN, um (01) da PMBA, um (01) da PMCE, um (01) do DPF e um (01) da DPRF. “Sendo formados guerreiros prontos para combaterem no ambiente inóspito da caatinga”, discursou o Comandante da CIOSAC, Jamerson de Oliveira.

Do blog GTO ASSÚ: Todos que fazem parte do GTO Assú parabeniza os Policiais Militares do Rio Grande do Norte que se inscreveram no curso da CIOSAC, em particular ao Tenente Rêne do 10º BPM, Militar de uma capacidade de comando ímpar e admirado por seus subordinados, pares e superiores. Agora, assim como o Tenente Montenegro, um dos percussores do RN neste curso, repassará seus conhecimentos ao pessoal que combatem a bandidagem no complicado ambiente de caatinga, aprimorando ainda mais as técnicas Policiais Militares no sertão do estado.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

DELEGADO DA POLÍCIA CIVIL DO PARANÁ FAZ RESUMO PERFEITO DO MOMENTO ATUAL DAS POLÍCIAS NO BRASIL



Estamos transformando a polícia em uma instituição de covardes. Hoje, poucos policiais têm o ímpeto de agir imediatamente diante de uma injustiça ou de uma situação delituosa. Poucos têm a vontade de investigar e se expor às ruas e a seus conflitos, poucos têm a inconsequência de ir, quando a prudência normal e comum recomendam não ir.

A polícia não é uma profissão de certezas, de escolhas fáceis e certas, de ausência de riscos, de legalidades simples dos bancos acadêmicos. Polícia é risco e incerteza 24 horas do dia. Não existe a possibilidade de esperar um criminoso sacar a arma e apontá-la para você antes de você decidir atirar. Não se pode pedir sempre um mandado de busca para entrar em uma casa. Não existe sempre situações claras de risco e de flagrante delito que lhe permitam saber 100% do sucesso de suas escolhas e suas ações. Nas ruas é sacar a arma antes e atirar, entrar sem pensar para surpreender e não ser surpreendido. A polícia não é uma profissão de certezas e legalismo acadêmico. Não podemos transformar nossos policiais em pessoas acuadas e com medo de agir, com medo de responder por crimes, por abusos, por excessos.

Claro que não se pode permitir tudo, autorizar desmandos, torturas, abusos de autoridade. Mas não se pode exigir certezas e antecipações que os imprevistos das ruas não permitem. Não podemos colocar nossos policiais em uma situação de desconfiança prévia em relação aos seus atos que os imobilizem, não podemos exigir garantias que não podemos dar aos nossos policiais. Prejulgando ações policiais como de má-fé, transformamos nossos protetores em covardes que têm medo da decisão, que preferem não sair às ruas para investigar e prender. Hoje na polícia é mais cômodo não fazer nada, pois aí você evita os riscos das decisões incertas e os procedimentos que delas advém. Ocorre que isso é o fim da polícia, de nossos cães pastores, de nossos protetores.

Desgastes, equívocos e erros sempre existirão na atividade policial; mas nenhum erro será maior para a sociedade do que transformar a polícia em um lugar de covardes burocratas, que se escondem atrás de procedimentos e regras acabadas que não resolvem o imediatismo do pavor de um crime acontecendo.

Precisamos de policiais um pouco inconsequentes – pois ninguém em um raciocínio lógico e normal vai enfrentar criminosos que não tem nada a perder ou a ganhar - que não tenham medo da morte, que anseiem pelo confronto, que tenham coragem de ir quando a prudência mandar não ir. Não existe o discurso do herói, do fazer o bem para a sociedade, do transformar o mundo em lugar melhor quando apontam uma arma para você. Ninguém vai pra rua quando o confronto é iminente e a derrota certa, seja morrendo ou voltando vivo para casa. Logo nossa polícia será formada apenas por covardes. Logo o caos habitará.


Rafael Vianna
Mestre em Ciências Jurídico-Criminais pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, atualmente é Delegado de Polícia no Paraná, assessor civil da SESP, entre outras atribuições.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

ARMAMENTO E MUNIÇÃO "APREENDIDO" E APRESENTADO NA OCORRÊNCIA É DE USO DIÁRIO DOS POLICIAIS MILITARES DE JANDUÍS

Índice
Retirada de blog policial

Uma fotografia apresentada em um dos vários portais e blogs policiais do Rio Grande do Norte chama atenção devido ao conteúdo das imagens, trata-se de uma pistola calibre .40, alguns carregadores e várias munições de fuzil 5,56.

Acontece que esse material apreendido e apresentado, faz parte da carga de armas e munições do próprio Destacamento da PM de Janduís, os quais servem aos Policiais Militares e também serviu à Polícia Civil quando as instituições atuaram juntas diversas vezes.

Não se sabe ao certo o motivo da apresentação desse material à imprensa, pois segundo os PMs da região, estavam todas regularmente cauteladas e fazendo parte do arsenal da PM na região do médio-oeste.


Quanto a prisão do Cabo Silva, a notícia pegou de surpresa todos os que o conhecem, pois com 26 anos de corporação atuando em diversas cidades da região central do RN, nunca tinha sido suspeito de tal prática e foi um dos poucos Comandantes do DPM de Janduís que intensificou o policiamento na cidade e reduziu muito os índices de assaltos e homicídios na complicada região.

POLICIAIS MILITARES E AMIGOS ENVIAM MENSAGENS DE APOIO AO CABO SILVA

Já trabalhei com o Cabo Silva e até o momento nunca soube de qualquer envolvimento dele com drogas ou pistolagem. Deixo aqui o meu depoimento!!! (CAPITÃO HENRIQUE).

Já participei de várias operações policiais com o Cb Silva e sempre o admirei pelo seu empenho e dedicação e até que me provem o contrário, ele pra mim vai continuar sendo digno de elogios. (SARGENTO ALVES).

Homem de caráter, justo, que combate o tráfico, os assaltantes, a criminalidade com o rigor da lei e nas condições precárias ainda assim combate sem medo, com coragem, operacionalidade e muita vibração, eu repúdio essa prisão e se depender de mim darei total força a dar depoimento em favor do CABO Silva, grande profissional. Injustiça que fizeram com ele, força Silva, nós veremos tua vitória em nome de Jesus.(SD FELIX).

Já fiz diversas matérias do Cb. Silva em combate a criminalidade na região e até onde eu sei, ele realizava um excelente trabalho e todos são inocentes até que se prove o contrário. (GIDEL ICÉM CARAÚBAS).

Homem que junto c seus colegas mesmo com seus salários defasados honra sua classe. E trabalham c amor. Injustiça mas Deus sabe todas as coisas. Cabo Silva homem honesto e digno de seu trabalho. (GEINA BRITO).

Cb silva é um profissionalismo completo respeitado por muitas família. Um excelente ser humano. Respeito-o e tenho a maior admiração por sua pessoa. Tudo vai da certo se deus quiser.(LÁZARO).

Cb era um dos poucos q gostava de trabalhar, mostrar serviço, mesmo sem nenhum apoio e estrutura... (SD NICODEMUS).

Tive alguns momentos com o CB Silva, mas ainda não tive a honra de trabalhar ao lado dele, nem sob o comando dele, o que sei sobre ele é o que todos sabem bem, um profissional competente e um cidadão compromissado, mesmo em poucas oportunidades, ele sempre me disciplinou a ser um policial melhor, se tudo correr bem teremos ele aqui conosco, não mais como cabo e sim como sargento, promoção mais que merecida, fique registrado.(SD ILDONIO).

Quando era comandante em Angicos, era o único policial que podia contar tanto na área operacional, que muitas vezes de folga, sempre aparecia como voluntário para combater a bandidagem, desconheço até então esse desvio de conduta do Cb Silva. (CAPITÃO ANDRELINO).

Meu amigo Cb Silva força ai parceiro. Nós sabemos o bom policial militar que o senhor é. E lembre se a justiça de Deus é maior. Nada e nem ninguém vai tirar seus bons serviços prestados a nossa ingrata sociedade.(PM PESSOA).


Deixo aqui minha solidariedade ao Cabo Silva, um homem íntegro e de valores invejáveis, Deus da as missões mais impossíveis para os seus melhores guerreiros. (RAQUEL DANTAS).

“Se forem apreender drogas dentro de viaturas vão encontrar pelo simples motivo da PM fazer atenções e ter que passar o dia todo com a droga e o preso andando de cidade em cidade sem ter a quem entregar”.

O comandante geral da PM, Francisco Araújo, disse que exonerou o Cabo Silva do comandante do destacamento da PM de Janduís.
O delegado Sandro Régis, pediu cautela. Disse que a princípio destaca que apenas está investigando os casos e que só deve levar o caso a diante quando da conclusão das investigações, confirmando ou não o envolvimento do policial.

Fonte: Focoelho

domingo, 30 de novembro de 2014

FORAGIDO DA JUSTIÇA É PRESO EM ASSÚ QUANDO TENTAVA ASSALTAR UM POSTO DE COMBUSTÍVEL NA COHAB


Um foragido da Justiça foi preso ontem a noite ao tentar assaltar um posto de combustível na cidade de Assú. 

De acordo com a Polícia Militar, o acusado MOISÉS PINHEIRO DE ARAÚJO, nome apresentado pelo mesmo, é foragido da Penitenciária de Parnamirim e cumpria pena por homicídio. Ainda de acordo com a PM, Moisés armado com uma faca, tentou tomar o dinheiro de um dos frentistas do estabelecimento no bairro da Cohab e um Policial Militar que abastecia seu veículo presenciou o fato e o rendeu até a chegada das viaturas. 

O acusado foi levado à DP Regional de Mossoró e ficará a disposição da Justiça por mais esse crime.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

POPULAÇÃO RECEBE POLICIAIS MILITARES SOB APLAUSOS EM MAJOR SALES



População recebe Policiais Militares com palmas após confronto e morte de um dos assassinos do Soldado Alexsandro na cidade de Major Sales/RN.

Vários PMs mesmo de folga estão na caçada ao resto do bando, que encontra-se na mata. Os bandidos entraram na agencia dos correios e anunciaram o roubo, ao identificar um dos clientes como PM, iniciou o tiroteio. O Soldado Alexandro foi atingido quatro vezes e veio a óbito nessa madrugada.

Desde a hora do fato, várias viaturas estão empenhadas em localizar os assaltantes e um deles acabou morto ao se deparar com o GTO de Alexandria. Segundo a Polícia Militar a busca só encerra quando o ultimo bandido for pego.

GTO DE ALEXANDRIA CAÇA E MATA LATROCIDA QUE ATIROU EM UM SOLDADO NA CIDADE DE MAJOR SALES-RN

GTO de Alexandria sob o comando do Capitão Brilhante acaba de entrar em confronto com os elementos que assaltaram os correios de Major Sales e na ação mataram um PM.





Bandidos que assaltaram a agência dos Correios da cidade de Major Sales, na tarde de ontem 11/12, e que também vitimou fatalmente o Soldado da Polícia Militar Raimundo Alexsandro de Oliveira, entraram em confronto hoje pela manhã com o GTO de Alexandria comandado pelo Capitão Brilhante, e na troca de tiros, um dos elementos foi atingido vindo a óbito quando era socorrido pelos policiais. 

O confronto se deu na Zona Rural de Major Sales, mas precisamente nas proximidades do parque de vaquejada Mangueiral.

Várias guarnições ainda se encontram no cerco na busca de um segundo elemento, um novo confronto pode vir a acontecer a qualquer momento. O elemento morto ainda não foi identificado.

Fonte: Sentinelas do Apodí

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Custos com a violência no Brasil chegaram a R$ 258 bilhões em 2013


A MATÉRIA DO G1.COM INFELIZMENTE NÃO MOSTRA QUANTOS POLICIAIS BRASILEIROS FORAM MORTOS EM RELAÇÃO AOS ESTADOS UNIDOS DURANTE ESSE PERÍODO, UM RESPEITADO JUIZ DE DIREITO DO RIO GRANDE DO NORTE, EM SUA PÁGINA DO FACEBOOK,  QUESTIONA: POR QUAL MOTIVO TODA A VERDADE NÃO INTERESSA AO JORNALISMO BRASILEIRO?
Vejam a matéria na íntegra 
Os custos com a violência no Brasil chegaram a R$ 258 bilhões no ano passado – quase 6% do PIB, que é a soma de todas as riquezas que o país produz em um ano. Os números são do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que lança nesta segunda-feira (10) o anuário da violência, segundo o Bom Dia Brasil.
O anuário mostra que, em 2013, 2.212 pessoas foram mortas pela polícia em todo o país. Foram seis mortes por dia em confrontos. A comparação com a polícia dos Estados Unidos mostra uma explosão no número de casos. Nos últimos cinco anos, as polícias brasileiras mataram 11.197 pessoas, enquanto a dos EUA levou 30 anos para atingir quase o mesmo número de mortes: 11.090.
Policiais também foram vítimas. Em 2013, 490 foram mortos no país – 75% estavam fora de serviço. 11% dos homicídios do mundo aconteceram no Brasil. A violência tem um custo alto para toda a sociedade.
“Dos 258 bilhões gastos com os custos da segurança pública e da violência no Brasil, só R$ 65 bilhões são gastos com políticas públicas de segurança e com o sistema prisional. Isso significa que a gente gasta três vezes mais com os efeitos perversos da violência e da segurança privada do que com políticas públicas voltadas ao enfrentamento do crime e da violência”, diz Samira Bueno, diretora do Fórum.
A secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki, diz que a violência só vai cair se houver integração dos poderes. “A solução está em aproximarmos o judiciário da política de segurança pública e termos o respaldo da ressocialização dentro do sistema prisional”, afirma.
No anuário também existe um levantamento feito em oito estados feito pela Fundação Getulio Vargas. Ele mostrou que 57% dos entrevistados acreditam ser possível desobedecer as leis. Pior: 81% dizem que é sempre possível “dar um jeitinho” para não cumprir as leis.
A análise dos especialistas é de que esses dados são fortes sinais de que a população convive com a sensação de impunidade. E quanto maior a renda, maior a sensação de impunidade: é em Brasília que está a maior parte das pessoas que acham que é possível “dar um jeitinho".

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

FAMILIARES DO ASSUENSE MORTO EM OPERAÇÃO POLICIAL EM NATAL DIZEM QUE ELE ESTAVA NO LUGAR ERRADO E NA HORA ERRADA

Em entrevista que cedeu a reportagem do programa Caderno de Ocorrências de hoje 03/11 segunda- feira, Clebiano Nogueira, irmão do taxista assuense Kleber Nogueira que está entre os mortos durante a realização de uma operação da Polícia Militar na tarde da última quinta- feira no bairro das Quintas em Natal, disse que seu irmão não tinha envolvimento com nada ilícito e era trabalhador.

Fonte: Focoelho

Como foi a ocorrência: Segundo informações da imprensa, o BPChoque realizava uma operação no Bairro das Quintas em Natal quando tentou cercar os suspeitos, houve troca de tiros e quatro acusados reagiram e tentaram fugir pelo manguezal do Rio Potengi, porém foram baleados e morreram.

Várias armas e drogas foram apreendidas e o resgate dos feridos só foi possível graças ao apoio aéreo do helicóptero da Polícia.